Recorde de acesso em:
09/05/2011
é de 923
Total Visitas Únicas: 2.645.649
Visitas Únicas Hoje: 373
Usuários Online: 64
Sistema de Busca
Documento sem título

Newsletter Espacomaria
Receba nossas atualizações diretamente no seu Email - Grátis!
 

Devoção à N. Sra









Visto: 1305 - Impresso: 54 - Enviado: 7 - Salvo em Word: 4
Postado em: 18/02/10 às 07:33:22 por: James
Categoria: Devoção à N. Sra
Link: http://www.espacomaria.com.br/?cat=11&id=1844
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Devoção à N. Sra


 

Santuário Nossa Senhora Imaculada do Sertão

Doutrina e Igreja

 

A-   A+

José Nilson Ferreira Gomes Filho
Consagrado na Comunidade de Aliança Shalom

“Ao aproximar-me de Quixadá, pus-me a olhar surpreso e incrédulo o que via. Diante dos meus olhos estende-se um panorama de sonho, de antigas histórias de fadas. Os monólitos! Os monólitos perdidos entre grupos de nuvens brancas, o vermelho dos telhados e o branco das paredes. Recordo as montanhas de minha terra...sinto-me tocado”. Esta foi a impressão que marcou D. Adélio ao chegar pela primeira vez a Quixadá.

Com certeza, nesse momento nascia em seu coração sonhador, mesmo que ele não percebesse, o sinal da Graça de Deus em presentear Maria, mãe do Salvador, que é a imagem da história do povo humilde que vive nesta região – marcada pelo sofrimento que advém da caatinga e da seca, com um lugar santo e sublime. Um Santuário! Colocado entre os monólitos de forma a dominar todo o sertão.

Do alto do Monte do Urucum, irradia por todo o vale que o ladeia o nome da “Imaculada Rainha do Sertão”, como porta-voz da esperança de todo um povo, do povo de Deus: pobre, humilde, sofredor, mas que carrega no coração o ardor incomparável de amor à Maria e que busca em seus maternos braços o mesmo aconchego e carinho que ela traduz ao deitar em seu colo o Menino Jesus.



A Estrutura do Santuário

Ambiente: As formas volumétricas dos monólitos formam uma peça geométrica trabalhada pelas águas, ventos e misteriosas forças dos séculos profundos do passado. Assim, pretendendo manter a mesma harmonia, a construção do abside e do presbitério formam um paralelepípedo achatado como um platô. O batistério se eleva sobre o teto em forma cilíndrica. A Capela do Sacrário é um paralelepípedo de 3,60x16m de altura. O conjunto está colocado de forma a não destoar da paisagem que o envolve.

Beleza: Maria é mãe e nos faz pensar em beleza simples e linhas recolhidas. Maria está perto dos filhos, por isso foram estudadas as dimensões do Santuário de modo a sentir essa vizinhança.
Pobreza: Maria foi pobre. O povo que habita nas proximidades também é pobre. Por isso, para sua construção, foram escolhidos materiais da terra e, tendo em conta a durabilidade, tudo foi feito com a intenção de ser algo bonito, mas singelo.
Simbologia: Tudo na estrutura da construção do Santuário é símbolo. É o que veremos.



A Estátua: Imagem de Maria

Maria leva no colo o Menino Jesus – Ela é a Imaculada Mãe de Deus, pensada desta forma por ser uma representação mais rica e significativa do que a Virgem sozinha. Maria foi Imaculada e Virgem antes, durante e depois do parto. Maria foi a Imaculada porque foi escolhida para ser a Mãe do Salvador. A sua presença no colo da Mãe nos dá a explicação da Conceição Imaculada de Maria.

Ela é semelhante às nossas mães nordestinas na cor da pele, nas mãos com os dedos que parecem as das mãos fortes das sertanejas. E depois aí está Jesus, se segurando em Maria como fazem realmente todas as criancinhas quando estão nos braços da mãe. Nenhuma expressão de medo há nele, a mãe lhe inspira segurança e lhe dá carinho.

O Vitral

O vitral colocado por trás do altar é muito simples. O sol e os raios de vidro incolor e azul. O azul nos recorda o céu, o vidro incolor nos deixa ver as nuvens e os monólitos. O vitral mistura o mistério e as realidades futuras com as presentes.

O Altar

Também o altar é muito simples. Foi preparado à forma de sarcógafo por ser a mais apropriada para significar o Mistério Eucarístico. O revestimento é de quartzo rosado de Itapiúna, cidade próxima a Quixadá. Cortado em pequenas pedras, pontiagudas, quase transparente, nos recorda que somos preciosos, por sermos filhos de Deus; duros e ásperos por sermos filhos da terra.

Perto do altar há uma cruz desenhada por D. Adélio e executada pelo mestre Aroldo Antonelli. Uma serpente em vão tenta trepar para morder o calcanhar de Jesus cravado na cruz. É o ultimo esforço de satanás. Jesus morrendo esmaga para sempre a cabeça da serpente infernal.

Torre do Sacrário

O Sacrário está dentro de uma torre em forma de paralelepípedo quadrangular. A torre parte do chão ultrapassando o teto e, quando as nuvens são baixas, se perde no céu.

A Eucaristia é a união misteriosa da verdadeira humanidade com a verdadeira divindade.
Jesus, na hipótese, é a coluna entre o céu e a terra. Jesus na Eucaristia nos torna “íntimos” e nos faz “penetrar” na divindade. “Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida em si”.

A Eucaristia é o pilar que sustenta toda a vida humana.

Os três degraus da torre batismal recordam a fé, esperança e caridade, os quatro ângulos da torre quadrada relembram as virtudes cardeais: Justiça, Fortaleza, Prudência e Temperança.

Olhando para a torre da nave, sobre a viga, vê-se Moisés diante da sarça ardente. Em baixo lê-se as palavras de Deus “Eu estou contigo”. Deus no Antigo Testamento e Jesus no Novo nos prometem ficar conosco. Jesus é o Emanuel e a Eucaristia é Jesus conosco, é a nossa força.

Torre Batismal

Para compreender a simbologia da torre batismal precisa-se conhecer o “Pastor de Hermas” do II ou IV século.

O Pastor explica a Hermas que a torre que ele vê sendo construída com pedras escolhidas e trabalhadas é símbolo do Reino e da Igreja.
As pedras são os eleitos, os discípulos de Cristo. O batismo transforma toda criatura em pedras vivas do Reino, da Igreja.

A Porta do Batistério

A simbologia do batistério é simples. A porta é Cristo. Jesus nos disse: “Eu sou a porta”. Jesus é representado pela palavra grega “I X V U S” que quer dizer peixe. As letras desta palavra eram tomadas pelos cristãos como iniciais da profissão de fé: Jesus Cristo Salvador, Filho de Deus.

Abaixo do nome dourado, para significar a divindade, está na tarrafa um peixe grande e uns pequenos. Alguns escritores dos primeiros séculos diziam que o peixe grande indica Jesus e que nós somos, por causa da água do batismo, os pequenos peixinhos seguindo o grande peixe: Jesus.

Na torre, quem entra depara-se com o batismo de Jesus no Jordão, feito em relevo em tijolos vermelhos e brancos. As águas são brancas para significar que essa água purifica.

Iluminação

Por razões muito práticas a luz da janela é indireta, mas não incomoda os presentes, nem os distrai. Pode, também, recordar-nos que tudo na fé é indireto, mediado. O Pai pelo Filho, o Filho por Maria e a Igreja, a Igreja pelos sacramentos e as palavras.

A Torre Piramidal

Construído em aço com forma de pirâmide, com 27 metros de altura e não tendo nenhuma estrutura na face frontal, pode ser imaginado como um grande manto protetor: o manto da Virgem Maria.

Nas missas campais o altar é montado sob este manto. Esta estrutura oferece o sentido simbólico de que do seio da Virgem Maria nos veio o Salvador.

Painéis internos

Nas paredes oblíquas do Santuário estão colocados vinte painéis. Quando Deus quiser, serão revestidos de mosaicos coloridos e acolherão as reproduções das imagens ou estátuas da Virgem Maria com o nome e o título como ela é venerada em cada país da América Latina.

O sentido é fazer com que cada peregrino se sinta, ao ver estas imagens, em comunhão com todos os irmãos da América Latina. Assim, como a dor nos une na vida, também o amor da única Mãe nos faz um só povo da esperança.

Hoje estão colocadas imagens de Nossa Senhora Aparecida, do Brasil; Nossa Senhora de Guadalupe, do México; da Venezuela; das Antilhas.

Painéis Externos

Na fachada do Santuário estão pintados quatro painéis dos artistas quixadaenses Walker e Cícero. Eles, no futuro, poderão ser substituídos por mosaicos. Representam o Mistério da Salvação: Criação, Pecado, Encarnação e Morte Redentora de Jesus.

O Portal

São formados por oito quadros de 80x60, fundidos em bronze. Representam os fatos principais da vida de Nossa Senhora, a Virgem Maria.

Via Sacra

Na subida para o Santuário, encontra-se os grupos estatuários representando as cenas tradicionais da Via Sacra. São quatorze estações. Todas elas foram projetadas e construídas por D. Adélio e pelo artista Adalécio Feitosa, que hoje trabalha na livraria do santuário confeccionando as imagens de Nossa Senhora que ali são colocadas à venda.

As imagens são feitas de forma a resistir o relento: estrutura interna de ferro e revestidas de argamassa de cimento. Materiais difíceis de serem trabalhados, mas que não impediram de criar um conjunto harmonioso e certamente inspirador de grandes e profundos sentimentos.

A Via Sacra no caminho do Santuário não é um enfeite, mas catequese feita de oração e contemplação.

A Gruta

Lugar onde foi colocado a imagem de Nossa Senhora, quando D. Adélio visitou pela primeira vez o lugar, quando ainda sonhava com o Santuário, e ali o consagrou à Mãe de Deus.

São poucos os romeiros que visitando o Santuário não queiram terminar a sua homenagem a Maria lá na gruta onde uma cópia da estátua de Nossa Senhora venerada no Santuário parece estar ainda mais perto deles, embora não mais entre as pedras, mas num trono azul.

O Cristo

A inusitada imagem do Cristo, feita em resina, de tamanho natural, expressa anatomicamente o corpo flagelado de Jesus. Uma imagem ímpar, bela, mas que nos lança indubitavelmente ao grande Mistério do flagelo, da agonia e da morte de Cristo. O Amor Supremo, num ato supremo de amor, assume todas as nossas culpas e restaura a dignidade do homem: filhos de Deus!

A Sagrada Família

O conjunto da Sagrada Família acolhe as famílias dos romeiros. A família de Jesus, Maria e José é exemplo de família e que ser sinal de resgate do valor das famílias e do valor primordial para a plenitude da vida.


A Casa dos Romeiros e a Casa de Retiros

Ainda existe uma confortável casa dedicada aos romeiros, com uma moderna e suficiente infra-estrutura. E uma casa de retiro, onde serve de apoio aos peregrinos.

Elas também têm suas histórias e seus símbolos, que poderemos descrevê-los em um outro artigo.

Comunidade Mariana Oásis da Paz

Não poderíamos encerrar esta nossa “peregrinação” sem falar da Comunidade Mariana Oásis da Paz. Uma comunidade contemplativa de irmãs e irmãos celibatários e sacerdotes que vivem juntos em residências comunitárias.

Foram convidados por D. Adélio para transbordarem o seu carisma de acolhimento e intercessão pelos peregrinos que buscam com afã os cuidados de Maria, mãe do Salvador.

Conheça mais sobre a Comunidade Maria Oásis da Paz, leia a Revista Shalom Maná, edição de agosto/99.

O Santuário Nossa Imaculada Rainha do Sertão é um foco de irradiação da devoção Mariana e de uma Igreja Missionária. Muitos homens e mulheres que vivem longe de Deus encontram no Santuário e no abraço da Mãe o caminho da conversão e da transformação de suas vidas. Outros, o visitam para serem abandonados no oásis de amor, que fecunda a oração e a renovação espiritual.

Das pedras à harmonia, do sofrimento à esperança, do pecado ao perdão, da aflição à verdadeira paz... Santuário Nossa Senhora Imaculada Rainha do Sertão – Quixadá-CE.

Bibliografia e textos

Escritos de D. Adélio Tomasin
Testemunhos de D. Adélio Tomasin



Quixada



       





Postado por: James - www.espacomaria.com.br em: 18/02/10 às 07:33:22 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.




LEIA TAMBÉM











Copyright 2006 - 2015 - www.espacomaria.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES